Greenlife Academias novemrbo 2020

Rússia anuncia que é o primeiro país a registrar vacina contra Covid-19

A vacina é alvo de desconfianças em relação a sua eficácia, devido à falta de detalhes sobre os testes

11 de agosto de 2020
vacina covid-19

A vacina é resultado de testes feitos na Universidade de Sechenov, com 38 voluntários entre 18 e 65 anos.

Governo da Rússia anunciou nesta terça-feira (11) que o país é o primeiro no mundo a registrar uma vacina contra Covid-19. Segundo a CNN, o presidente do país, Vladimir Putin, informou, por meio de teleconferência com ministros, que a vacina funciona de “maneira eficaz, formando uma imunidade estável”. A autoridade afirmou que uma de suas filhas já foi vacinada e chegou a apresentar temperatura um pouco mais elevada, mas que a situação normalizou.

> Brasil supera 100 mil mortes por Covid-19

A vacina, que será chamada de Sputnik V, foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, em Moscou, com testes realizados na Universidade de Sechenov, com 38 voluntários entre 18 e 65 anos.A Rússia pretende iniciar a campanha de vacinação em massa em outubro deste ano. Profissionais da saúde e professores serão a prioridade.

> Máscara VNI auxilia em quadros de insuficiência respiratória pela Covid-19

Como os testes clínicos foram iniciados em junho e não foram divulgados resultados detalhados sobre os resultados da pesquisa, o estudo foi alvo de críticas e de desconfianças em relação à eficácia do produto. A justificativa dos cientistas russos é de que a vacina foi desenvolvida de forma rápida porque é uma adaptação de outra versão que já foi utilizada para outras doenças.

> Covid-19: volta às aulas presenciais é desafio às autoridades

Organização Mundial de Saúde

Na página da Organização Mundial de Saúde (OMS), onde consta o andamento das vacinas em teste pelo mundo, a vacina russa estava em fase 1. De acordo com a OMS, seria necessário observar três fases completas da vacina para começar a vacinar em massa. A Rússia não publicou nenhum estudo ou dado científico sobre a vacina.

Em entrevista coletiva à imprensa internacional, o porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic, demonstrou cautela em relação ao registro da nova vacina russa. “Acelerar o progresso não deve significar comprometer a segurança”, afirma.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: