Greenlife agosto

Depressão e transtornos psiquiátricos podem afetar fertilidade

Uso de alguns medicamentos antidepressivos causam alterações na ovulação

24 de setembro de 2020
depressão

Pessoas que fazem uso de medicamentos para depressão devem ser acompanhadas por um profissional.

Uma pesquisa do Instituto Nacional de Saúde dos EUA (NIH) revelou 41% das mulheres que procuram tratamentos para infertilidade sofrem com sintomas de depressão, enquanto cerca 50% dos homens que buscam o tratamento de fertilização in vitro já estão deprimidos.

O transtorno psicológico afeta mais de 300 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e pode ter influência na saúde e na fertilidade de casais que têm o sonho de terem filhos.

> Setembro amarelo: informação e prevenção andam juntas a favor da vida

Segundo o especialista em medicina reprodutiva, Daniel Diógenes, “todo transtorno psiquiátrico pode ter impacto na fertilidade, por vários motivos. Na mulher, a depressão pode levar a não-ovulação. Se ela não ovula, não tem chance de engravidar. Nos homens, o impacto maior é na libido. Se ele tem menos relações sexuais, as chances de o casal engravidar, logicamente, diminuem”.

> Uso de aplicativo de fertilidade ajuda ou atrapalha?

Devido a isso, torna-se ainda mais necessário o acompanhamento psicológico dessas pessoas, a fim de evitar acontecimentos como abortos, por exemplo. “Existem medicamentos antidepressivos mais seguros para mulheres que pretendem engravidar, mas toda paciente em uso de medicações de uso contínuo deve ser monitorada”, explica o profissional.

A orientação do médico é para que os sintomas não sejam negligenciados, porque a depressão pode impactar muito a saúde reprodutiva do paciente. “O Setembro Amarelo é muito importante para que as pessoas reforçar que as pessoas estejam sempre atentas às condições de sua saúde mental. É preciso se cuidar, procurar ajuda e fazer acompanhamento médico. Na minha área, que trata a infertilidade, vejo que os efeitos da depressão são muitos”, afirmou Daniel Diógenes.

Sintomas

Alguns sinais de alerta devem ser observados pela rede de apoio, composta por amigos e familiares, para evitar o desenvolvimento da depressão. Caso sejam frequentes, é importante procurar ajuda de um profissional especializado.

> Depressão na gestação e pós-parto exige cuidados e rede de apoio

Podem ser considerados sintomas da depressão:

  • Humor deprimido durante a maior parte do dia, na maioria dos dias;
  • Perda de interesse pelas atividades que gosta;
  • Perda ou ganho de peso, sem ser devido à dieta ou condição de saúde conhecida;
  • Sonolência ou insônia repentina;
  • Sentir-se fisicamente agitado ou lento na maioria dos dias;
  • Tentar ficar isolado das outras pessoas;
  • Sentir-se sem valor, culpado ou envergonhado;
  • Ter dificuldade para pensar claramente ou concentrar-se;
  • Ter pensamentos frequentes de morte ou suicídio.



QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: