Greenlife agosto

26/08 Brasil deve registrar mais de 14,5 mil novos casos de linfoma em 2020

26 de agosto de 2020
O linfoma é a quarta causa mais prevalente do câncer hematológico.

O linfoma é a quarta causa mais prevalente do câncer hematológico.

Apesar de ter causas imprevisíveis, é considerado o 4o mais prevalente tipo de câncer hematológico. Para conscientizar e prevenir, acontece a campanha Agosto Verde Claro. Hematologista Rodrigo Monteiro, do Núcleo de Oncologia e Hematologia do Ceará (NOHC), explica sobre o linfoma de Hodgkin e linfoma não Hodgkin (LNH) em sessão clínica nesta quarta-feira (26), às 19, em encontro online gratuito. 

Quase 15 mil brasileiros devem ser diagnosticados com linfoma no Brasil neste ano, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). O linfoma é uma doença que começa nas células do sistema imunológico, responsável pela proteção do nosso organismo, e é preciso estar atento aos sintomas.

> Teste de sangue detecta Alzheimer até 20 anos antes do primeiro sintoma

Segundo o hematologista Rodrigo Monteiro, do Núcleo de Oncologia e Hematologia do Ceará (NOHC), “características como aumento dos gânglios, febre, perda de peso, calafrios ou fadiga excessiva podem ser sinais deste tipo de câncer”. Durante este mês acontece a campanha agosto verde claro para conscientizar a população e evitar diagnóstico e tratamento tardios.

> Planos de saúde terão reajustes suspensos por 120 dias

Sessão clínica on-line 

O hematologista, que participa de sessão clínica sobre o tema nesta quarta-feira (26), no link https://meet.google.com/zon-sgsr-egs, reforça que há duas categorias gerais de linfoma: linfoma de Hodgkin e linfoma não Hodgkin (LNH). Na maioria, os casos diagnosticados de linfoma são do tipo LNH. De acordo com dados divulgados pelo Observatório de Oncologia (que reúne dados abertos sobre a doença no Brasil), 5.081 brasileiros morreram de linfoma em 2017.

Monteiro faz um alerta sobre novos casos estimados pelo (Inca) para o Ceará em 2020. “O linfoma é a quarta causa mais prevalente do câncer hematológico. Há uma expectativa pelo Inca de ter 5,3 casos para cada cem mil habitantes aqui no Ceará, ou seja, cerca de 500 pacientes (novos casos neste ano)”, diz o médico.

> Glaucoma: 40% dos brasileiros desconhecem doença que pode causar cegueira

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que apenas neste ano, 12.030 novos casos de linfoma (não-Hodgkin – LNH) e 2.640 casos de linfoma Hodgkin sejam diagnosticados no Brasil, totalizando 14.670 pessoas. No caso do LNH, a expectativa é de que 6.580 homens e 5.450 mulheres descubram que estão com esse tipo de linfoma. Além de outros 1.590 homens e 1.050 mulheres com linfoma do tipo Hodgkin.
Sintomas

A Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) destaca que, entre os principais sintomas do linfoma, estão o aumento da estrutura de gânglios que pode ser palpável e/ou visível que geralmente surgem na parte lateral do pescoço, nas ínguas, axilas e regiões inguinais. Portanto, caso haja o aparecimento de nódulos a recomendação da Associação é que o paciente deve procurar o atendimento especializado, no caso o hematologista.

O especialista explica ainda que, apesar de nem todo gânglio aumentado caracterizar a doença, o ideal é que o paciente procure investigar as causas dessas alterações indolores o quanto antes. “É importantíssimo que esse diagnóstico seja feito o mais breve possível. A grande maioria chega ao consultório já com o linfoma em estágio avançado”, ressalta o hematologista.

Serviço:

Clínica Online – Agosto Verde-Claro | Combate ao Linfoma

Quarta-feira (26 de agosto), 19h.

Para participar, acesse: https://meet.google.com/zon-sgsr-egs





QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:








COMENTE:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + um =