SEGOV ABRIL 2022

Dia Mundial da Higienização das Mãos: uma forma de prevenir infecções

Prática de lavar as mãos devem ser incorporada no cotidiano para evitar infecções por micro-organismos

5 de maio de 2022
Higienizar as mãos ajuda prevenir infecções por micro-organismos. (Foto: Canva Pro).

Higienizar as mãos ajuda prevenir infecções por micro-organismos. (Foto: Canva Pro).

Hoje, 5 de maio, é celebrado o Dia Mundial da Higienização das Mãos. A data reforça os cuidados coma higienização e ressalta que a prática deve ser feita não apenas em ambiente hospitalar, mas ser incorporada ao nosso dia a dia. Principalmente nos últimos dois anos, devido a pandemia de Covid-19, muito foi falado sobre lavar as mãos ou passar álcool em gel, trazendo à tona a grande vantagem dessa medida. Esse simples ato de higienizar as mãos pode evitar a transmissão de doenças e salvar vidas.

> Concurso público nacional da Rede Ebserh/MEC é prorrogado até abril de 2024

Lavar corretamente as mãos é tão importante que, muito antes da situação pandêmica, a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2007, definiu 05 de maio como o Dia Mundial da Higienização das Mãos. Neste contexto, o Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh (CH-UFC), em Fortaleza, vivencia essa data com uma campanha de educação em saúde a respeito dessa prática que deve ser cumprida não somente no contexto hospitalar, mas em qualquer tipo de ambiente.

> Atendimento psicológico emergencial gratuito é retomado na Uece

Segundo o médico infectologista, Jorge Luiz Rodrigues, chefe da Unidade de Vigilância em Saúde do CH-UFC, a higienização das mãos é uma questão de saúde individual e coletiva porque é uma forma de prevenir infecções por meio de micro-organismos que estão circulando em nosso meio e são transmitidos, afirma o especialista, por esse contato próximo das mãos, quando não devidamente higienizadas. Por isso, ele alerta sobre a importância de estarmos sempre prevenidos: “É importante que nós sejamos adaptados a andar com álcool em gel para usar com frequência, pois ele consegue eliminar grande parte dos vírus e bactérias e é possível de ser levado aonde você for”, ressaltou.

Nos lugares de assistência à saúde, ou seja, em hospitais, clínicas e postos de saúde, por exemplo, os profissionais da área são orientados a realizar essa higienização de forma recorrente em pelo menos cinco momentos: antes e após tocar o paciente, antes de realizar procedimentos, depois do contato com secreções ou fluidos corporais, assim como de áreas próximas ao paciente. No cotidiano dos cidadãos, orienta o médico, a higienização precisa ocorrer sempre que tocar em superfícies que possam estar contaminadas, em geral, as de maior fluxo de contato, como maçanetas e objetos de uso comum. Essa limpeza pode ser feita simplesmente com o álcool em gel 70%, produto eficaz contra os agentes nocivos, mas quando há uma sujeira visível nas mãos, o melhor é recorrer à água e sabão para a retirada.

> Hospital em Fortaleza convoca pacientes com AVC para estudo sobre controle da pressão arterial

Seja com álcool ou lavando, o importante é entender que a forma como se higieniza faz toda a diferença para evitar o contágio de micro-organismos. É necessário lavar toda a extensão das mãos com movimentos de fricção entre elas, também entre os dedos e polegares, nas pontas dos dedos e no punho. Com essa limpeza adequada, a mão estará limpa e livre de transmissão de infecções, favorecendo mais proteção para todos.

 




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:




LEIA MAIS:




COMENTE: