Banner CMFOR – Outubro Rosa – 07 a 31/10

Síndrome Metabólica: a consequência dos excessos

Os efeitos negativos começam pela resistência insulínica e podem comprometer todo o organismo

28 de maio de 2019
Síndrome metabólica: a doença é comumente relacionada à obesidade, contribuindo para o surgimento de doenças graves, como câncer e diabetes. (Foto: Banco de dados)

Síndrome metabólica: a doença é comumente relacionada à obesidade, contribuindo para o surgimento de doenças graves, como câncer e diabetes. (Foto: Banco de dados)

A Síndrome Metabólica descreve uma série de problemas de saúde que afetam o metabolismo e se manifestam como fatores de risco para o organismo. A doença é comumente relacionada à obesidade, contribuindo para o surgimento de doenças graves, como câncer e diabetes.

> Pílulas anticoncepcionais e os riscos para a saúde
> Estética: criolipólise de placa ajuda a eliminar gordura localizada
> Mais de 19% dos fortalezenses são obesos, segundo Ministério da Saúde
> 5 alimentos que te ajudam no combate a insônia

Também conhecida como síndrome de resistência insulínica, o distúrbio compromete a ação da insulina nos tecidos. Segundo a médica ortomolecular Maryna Landin, isso afeta negativamente a saúde ao obrigar o pâncreas a produzir mais quantidade que o normal de insulina para manter o organismo funcionando. Consequentemente, isso aumenta o nível de insulina no sangue.

Atenção aos exames!

Ganho de peso, cansaço, tonturas, dores articulares, dificuldade para dormir, alterações menstruais e perda da libido em homens são alguns dos sintomas externos da síndrome. É necessário manter uma rotina de exames para acompanhar o andamento das alterações causadas no organismo pelo problema internamente.

Principais indicadores de risco da Síndrome Metabólica:

  • Baixo HDL (“bom colesterol”) – Em homens menos que 40mg/dl e nas mulheres menos do que 50mg/dl.
  • Triglicerídeos elevado (nível de gordura no sangue) – 150mg/dl ou superior
  • Pressão sanguínea alta – 135/85 mmHg ou superior ou se está utilizando algum medicamento para reduzir a pressão
  • Glicose elevada – 110mg/dl ou superior.

Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)

Por conta do desenvolvimento do problema no organismo, esses sintomas podem indicar não só a síndrome, como também outras doenças graves. “A síndrome metabólica é a grande causa de absolutamente todas as doenças crônicas, incluindo o câncer. Pode acarretar também infartos cardíacos, diabetes, derrames cerebrais e doenças circulatórias”, elenca Maryna.

> Cientistas brasileiros desenvolvem pesquisa para prevenção do Alzheimer
> Kombucha, uma bebida que além de deliciosa traz uma série de benefícios

Cuide-se para evitar

Prevenir-se contra a síndrome metabólica é sinônimo de manter um estilo de vida mais saudável. “Na síndrome metabólica, principalmente, já que o que desencadeia o processo é uma alteração na sensibilidade corporal e a liberação de insulina, proveniente de hábitos inadequados”, afirma a médica. Além disso, Maryna garante que manter hábitos saudáveis, como seguir uma alimentação equilibrada e praticar atividades físicas regularmente, são a base para uma vida totalmente livre de doenças.

 




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: