Banner Assembleia

Mitos e Verdades sobre Emagrecimento

Emagreça com saúde e garanta resultados positivos para o corpo e a mente

20 de fevereiro de 2019
Descubra como emagrecer de forma saudável e sem neuras!


Obter o equilíbrio ao invés de simplesmente diminuir medidas, através de hábitos saudáveis e atividades físicas regulares, é o caminho para quem busca uma maior qualidade de vida.

Edith Gomes: estilo de vida saudável não sai de moda
A importância do acompanhamento psicológico para emagrecer com saúde
Dicas para você otimizar seu treino e emagrecer
10 grãos infalíveis para emagrecer

Emagrecimento para maior qualidade de vida

A médica especialista em nutrologia esportiva Tayná Athayde, elencou dez mitos e verdades sobre o emagrecimento que você precisa saber antes de entrar no processo!

Confira a lista:

10. Anticoncepcional atrapalha

VERDADE. Interfere sim, por conta da disposição hormonal. Aumenta o SHBG, diminui níveis de testosterona, aumenta a celulite e ainda dificulta a perda de gordura.

9. Alimentos light ajudam

MITO. Não ajuda. Esses alimentos normalmente possuem mais aditivos químicos e podem até ter mais carboidratos, justamente dificultando o emagrecimento.

8. Exercícios compensam desequilíbrio na dieta

MITO. Dificilmente você irá gastar somente com exercícios as calorias consumidas em alimentos gordurosos ou com açúcares refinados. Caso tenha saído da sua dieta normal, o ideal é voltar à rotina e manter o equilíbrio.

7. Pular o jantar emagrece

MITO. Na verdade, existe uma individualidade biológica. Algumas pessoas até podem se beneficiar com o jejum, mas no geral, a resposta é NÃO! Tudo depende da quantidade de alimentos consumida durante o dia e de quantas calorias você gastou.

6. Precisa cortar TODAS as gorduras

MITO. As gorduras são importantes, inclusive para a construção dos nossos hormônios esteróides, como a testosterona. Além disso, elas atuam na absorção de vitaminas pelo organismo. O que não devemos consumir NUNCA são gorduras trans, fabricadas.

5. Atividades aeróbicas são obrigatórias

MITO. Depende. Apesar da atividade aeróbica aumentar o gasto calórico, o emagrecimento depende de outros fatores também, como a alimentação saudável e o equilíbrio hormonal. Alguns exercícios, como o HIT ou musculação, gastam até mais calorias.

4. Necessário sempre manter refeições de três em três horas

MITO. O importante é comer quando tem fome, quando há necessidade. Lembrando que isso não é comer por compulsão! O ideal é buscar o equilíbrio e sempre ouvir seu corpo.

3. Cortar carboidratos para secar

MITO. Os carboidratos são essenciais para a formação do Ciclo de Krebs, processo responsável pela produção de energia para as células. Uma dieta baixa em carbos dificulta a queima de gorduras e interfere no ciclo. Claro que existe a individualidade biológica e algumas pessoas podem se beneficiar com a restrição acompanhada de um profissional, mas não é para todos.

2. Basta contar calorias para emagrecer

MITO. Nosso corpo e a obesidade são multifatoriais. É necessário um conjunto de atividades para o processo ser bem sucedido. Dieta, exercícios físicos, qualidade de sono, diminuição do estresse, equilíbrio hormonal… bem mais complicado do que uma conta matemática!

1. Engordei porque comi muito

MITO. Engordar está muito mais relacionado ao desequilíbrio no funcionamento do organismo. Então acontece o contrário: quanto mais você engorda, mais você come. O excesso de gordura no tecido adiposo dificulta a absorção de energia pelas células e aumenta o apetite. Além disso, há a resistência à leptina, o hormônio da saciedade. O corpo, inflamado por conta do acúmulo de gordura, acaba desenvolvendo uma rejeição e um descontrole na produção da leptina, o que ocasiona o aumento de peso, consequentemente.

Acompanhamento psicológico é aliado contra a obesidade

O comportamento alimentar depende de estímulos externos, mentais e emocionais. A psicóloga clínica Virginia Serpa utiliza a Terapia Cognitivo-Comportamental para auxiliar no acompanhamento psicológico durante os processos de emagrecimento de seus pacientes. “A psicologia atua na modificação do pensamento que contribui para um comportamento alimentar inadequado. A ansiedade, por exemplo, faz parte da nossa vida. Nem sempre é negativa. O problema é quando ela é constante ou muito alta diante de uma situação que não é necessária”, afirma.  

Equilíbrio é a chave

O corte abrupto de alguns alimentos na dieta pode piorar a situação para quem enfrenta a batalha contra a obesidade. “Quanto mais restritiva a dieta, mais fácil desenvolver uma compulsão alimentar. Quando demonizamos um alimento, criamos a ideia de que comer é algo ruim. Isso promove o sentimento de culpa após a alimentação. Essa culpa pode promover a compulsão alimentar, o aumento da ansiedade e até mesmo a depressão”, afirma a psicóloga.

Para manter um emagrecimento saudável, o ideal é ter um acompanhamento profissional completo, psicológico e também nutricional. “Para que todo esse “caminho” de transformação ocorra de forma benéfica, tanto para a pessoa, quanto para a sua saúde, precisamos respeitar os limites e a individualidade de cada um. O papel do nutricionista nesse momento é conseguir associar a mudança ao dia a dia de cada paciente, de uma forma a ter objetivos alcançados, com saúde e aderência ao estilo saudável para uma vida inteira”, aponta a nutricionista estética Morgana Rolim.  

O momento delicado pede cuidado, qualidade e vontade de renovação, características que são alcançadas com uma assistência médica competente. “Quando somos acompanhados com um profissional, sentimos a segurança de nos alimentar da maneira que ele estipulou. Aderimos à uma rotina alimentar feita para nosso organismo, com um cardápio alimentar variado, balanceado e rico em nutrientes adicionados para seu objetivo e organismo. Com isso, é possível fazer uma reeducação física e mental para termos um estilo de vida melhor, um estilo de vida com saúde”, garante Morgana.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: