Banner CMFOR – Junho 2019

Junho vermelho: campanha destaca a importância para doação de sangue

De acordo com o Ministério da Saúde, com apenas uma coleta de sangue do doador é possível beneficiar de três até quatro pessoas

1 de junho de 2019
Doação de sangue. Com o lema “Vidas que salvam vidas, o amanhã de alguém depende do seu hoje”, a data tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de contribuir para a coleta de sangue. (Foto: Banco de Dados)

Doação de sangue. Com o lema “Vidas que salvam vidas, o amanhã de alguém depende do seu hoje”, a data tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de contribuir para a coleta de sangue. (Foto: Banco de Dados)

Doar sangue é um gesto nobre de amor. A solidariedade da população é essencial para ajudar a salvar vidas. Sabendo que uma simples doação pode fazer a diferença, para incentivar essa iniciativa, junho foi instituído o mês da campanha mundial de conscientização para Doação de Sangue.

Com o lema “Vidas que salvam vidas, o amanhã de alguém depende do seu hoje”, a campanha “Junho Vermelho” tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de contribuir para a coleta de sangue.

> Síndrome Metabólica: a consequência dos excessos
> Tabagismo é responsável por mais de dois terços dos casos de câncer de pulmão no mundo
> Introdução alimentar: uma fase especial que pode ser muito mais saudável
> Ceará é o pioneiro na doação de sangue raro para outro país

Além disso, no próximo 14 de junho é celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue. De acordo com as orientações da Secretaria de Saúde, para ser um doador  é preciso estar saudável, bem alimentado, ter mais de 50kg, idade entre 16 e 69 anos e apresentar um documento oficial e original com foto. Menores de 18 anos precisam apresentar o termo de consentimento.

Por que doar?

Segundo o Ministério da Saúde, o sangue é um composto de células que cumpre funções como levar oxigênio e nutrientes para o corpo, defender nosso organismo contra infecções e participar na coagulação. Até hoje, não há nada nada que substitua a função do sangue no corpo humano. Como ele não é produzido artificialmente, as pessoas que necessitam de suas funções precisam contar com a solidariedade de doadores.

Além disso, a coleta é feita em ambiente limpo e todo o material utilizado é descartável, evitando a possibilidade de contaminação. Depois de um processo de centrifugação, o sangue doado é separado em hemácias, plaquetas e plasma. Cada um destes componentes é utilizado para tratamentos específicos. Mesmo que haja descarte de algum dos componentes citados, muito raramente uma doação deixará de ser utilizada. 

Segundo dados do Ministério da Saúde, apenas 1,8% da população brasileira doa sangue. O ideal seria que esse índice fosse de pelo menos 3%. Com apenas uma doação de sangue é possível beneficiar de três até quatro pessoas, já que o sangue doado é dividido em diferentes componentes.

Hemoce

No Ceará,  Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) (www.hemoce.ce.gov.br), que faz parte da rede de unidades de saúde da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, o sangue doado garante atendimento a 427 unidades de saúde na capital e no interior do estado, oferecendo serviço de qualidade e seguro para quem precisa de transfusão de sangue.

Com o lema “Vidas que salvam vidas, o amanhã de alguém depende do seu hoje”, a campanha tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de contribuir para a coleta de sangue. (Foto: Banco de Dados)

Com o lema “Vidas que salvam vidas, o amanhã de alguém depende do seu hoje”, a campanha tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de contribuir para a coleta de sangue. (Foto: Banco de Dados)

De acordo com o Hemoce, a única forma de se conseguir sangue para uma transfusão é através da doação voluntária. 94% dos leitos hospitalares são atendidos pelo Hemoce.

> Uma a cada 10 mulheres é portadora de endometriose no Brasil, aponta Ministério da Saúde
> Secretaria de Saúde incentiva doação de leite humano para bebês hospitalizados

Em Fortaleza, diversas campanhas de conscientização surgem desde o começo do ano. Inclusive, em janeiro, o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) abriu uma unidade fixa de coleta de doação de sangue na Praça das Flores.

Além desse, o órgão conta com outros dois pontos fixos na cidade: Hemocentro Coordenador e o Posto de Coleta no IJF. No interior do estado, há hemocentros regionais em Quixadá, Iguatu, Crato, Juazeiro do Norte e Sobral. Em determinados períodos, o Hemoce também tem o serviço diário de coleta externa, cuja equipe vai ao encontro da população.

Aplicativo “DoeSangue”

Uma parceria entre o Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva e o Laboratório de Inovação do Número de Aplicação e Tecnologia da Informação da Universidade de Fortaleza (Unifor) resultou no aplicativo DoeSangue. A ferramenta foi o objeto da dissertação de uma aluna do curso de Mestrado em Saúde Coletiva e do trabalho de conclusão de curso de um aluno da graduação em Engenharia de Computação, ambos da Universidade de Fortaleza (Unifor).

“O aplicativo tem com o objetivo aliar os conhecimentos da saúde às novas tecnologias na captação e fidelização de doadores de sangue. Qualquer pessoa, independente de já ter doado sangue ou não, pode gratuitamente baixar o aplicativo e navegar nas funcionalidades como, por exemplo: agendar a doação de sangue, verificar quais os locais para doar e se informar sobre as dúvidas mais frequentes”, confirma Christina Praça, professora do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva da Unifor e orientadora da pesquisa.

O aplicativo será interligado ao sistema de doação de sangue do Hemoce. Os voluntários cadastrados pelo hemocentro poderão ter acesso a recursos, como verificar o histórico de doações realizadas. Ainda poderão aber qual seu tipo sanguíneo e se já estão no período de realizar uma nova doação. Já disponível para Android.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: