AL – Dezembro 2019 (1)

Uma a cada 10 mulheres é portadora de endometriose no Brasil, aponta Ministério da Saúde

O estresse, que afeta diretamente o sistema imunológico, também pode ser um desencadeador da endometriose

8 de maio de 2019
A cada dia 8 de maio há o Dia Nacional da Luta Contra Endometriose. Ações e campanhas de cuidados com a saúde íntima feminina acontecem em todo o mundo. (Fonte: Banco de Dados)

A cada dia 8 de maio há o Dia Nacional da Luta Contra Endometriose. Ações e campanhas de cuidados com a saúde íntima feminina acontecem em todo o mundo. (Fonte: Banco de Dados)

A endometriose é uma doença caracterizada pela presença indevida de células do endométrio (tecido que reveste o interior do útero) nas trompas, ovários, intestinos e bexiga. Quando o sangue e o tecido que pertencem ao endométrio saem da cavidade uterina e escoam para outros órgãos, a mulher sofre com cólicas e menstruação irregular.

> Unimed Ceará exibe Exposição “Amor que inspira” em homenagem ao Dia das Mães
> Dia Mundial de Combate à Meningite: Ceará já registrou 52 casos da doença em 2019
> Mega complexo de saúde e bem-estar é inaugurado no Meireles
> Pílulas anticoncepcionais e os riscos para a saúde

A doença pode afetar ainda mais a saúde feminina e até causar infertilidade. Além disso, o risco de câncer de ovário é mais alto entre mulheres que sofrem com endometriose.

Dados levantados na última década pela Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE) mostram que endometriose afeta cerca de sete milhões de mulheres só no Brasil – o número representa de 10% a 15% do público feminino em idade reprodutiva. A doença é classificada em leve, moderada ou grave.

> Mega complexo de saúde e bem-estar é inaugurado no Meireles
> Câncer: número de casos podem passar de 1 milhão este ano

O Ministério da Saúde (MS) aponta que, nacionalmente, uma a cada dez mulheres é acometida pela “Doença da Mulher Moderna”. O Dia Nacional da Luta Contra Endometriose, instituído no dia 8 de maio, é a data em que são feitas mais alertas e campanhas de cuidados sobre a saúde íntima feminina. 

Principais sintomas

A ginecologista Fernanda Rios, destaca que os sintomas são dores pélvicas crônicas ou durante a micção ou a relação sexual, principalmente com penetração profunda; cólicas progressivas e mais intensas; e hábitos intestinais irregulares. “Um dos principais efeitos é que cerca de até 40% das mulheres acabam inférteis”, ponderou a médica.

Além desses, outros indícios podem apontar a doença. Tais como:

  • Dor difusa ou crônica na região pélvica
  • Sangramento menstrual intenso ou irregular
  • Dificuldade para engravidar e infertilidade
  • Inchaço abdominal
  • Menstruação irregular
Tratamento

Segundo a médica, o estresse, que afeta diretamente o sistema imunológico, também pode ser um desencadeador da endometriose. Além disso, Fernanda explica que o tratamento pode ser clínico, com indicação do DIU hormonal ou outros contraceptivos, e cirúrgico. O diagnóstico é dado após o mapeamento da endometriose (ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal).

> Previna-se contra as principais Doenças Sexualmente Transmissíveis
> Especial Outubro Rosa: o amor e a luta por trás do câncer de mama

Tratamento cirúrgico

Dependendo da gravidade do caso, a cirurgia pode ser indicada. A Laparoscopia para Endometriose pode durar pouco mais de uma hora se for superficial ou pode chegar até 4 horas se houver acometimento intestinal profundo.

Em Fortaleza, a Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC) é a pioneira em realizar cirurgias ginecológicas minimamente invasivas. O procedimento é feito gratuitamente e tem acompanhamento multidisciplinar de profissionais da ginecologia, fisioterapia e psicologia.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: