Indaiá 3

Câncer: como a alimentação pode prevenir a doença

Uma dieta equilibrada e saudável pode ajudar no combate contra a doença

2 de Fevereiro de 2018
Alimentos naturais e orgânicos ajudam no prevenção da doença. (Foto: Reprodução)

Alimentos naturais e orgânicos ajudam no prevenção da doença. (Foto: Reprodução)

No Dia Mundial do Câncer (4 de fevereiro), a conscientização sobre o assunto é o foco principal. Fatores externos ao corpo e às células, como a alimentação, também interferem no surgimento da doença.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), a enfermidade mata cerca de 8,3 milhões de pessoas por ano no mundo. A alimentação inadequada é classificada como uma das principais causas, responsável por até 20% dos casos da doença nos países em desenvolvimento.

> Semente de abóbora ajuda na prevenção do câncer
> Câncer de mama atinge mais de 2 mil mulheres no Ceará

> Nutella é retirada de supermercados europeus por ter ingrediente potencialmente cancerígeno
> Câncer de pele: durante o verão os cuidados devem ser redobrados

De acordo com o INCA, alimentos gordurosos, processados ou pré-aquecidos e ricos em açúcar provocam alterações hormonais que colaboram para o surgimento da enfermidade. Uma dieta composta por frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, pode contribuir na prevenção de até 4 milhões de casos anuais da doença no mundo.

Alimentação no tratamento

De acordo com pesquisas realizadas pelo Fundo Mundial para Pesquisa contra o Câncer (WCRF) e do Instituto Americano de Pesquisa em Câncer (AICR), uma alimentação saudável, prática de atividades físicas e manutenção de um peso adequado fazem parte do tratamento. Os cuidados são fundamentais para recuperar a saúde do organismo e prevenir o desenvolvimento da doença.

 Verdades 
  • Atividades físicas previnem o câncer

VERDADE! A atividade física regular promove o equilíbrio dos níveis de hormônios e reduz o tempo de trânsito gastrintestinal (com isso diminui o período de contato dos tecidos locais com substâncias que promovem o câncer) e fortalece a defesa do nosso organismo.

  • É possível evitar o câncer a partir da alimentação

VERDADE! Uma dieta rica em alimentos naturais ou minimamente processados é capaz de prevenir o surgimento da doença. Esses alimentos têm o poder de inibir a chegada de compostos cancerígenos às células e, ainda, consertar o DNA danificado quando a agressão já começou. A recomendação é consumir, no mínimo, cinco porções, ou seja, 400g por dia de vegetais, sendo duas porções de frutas e três de verduras e legumes sem amido, como cenoura, couve-flor, berinjela e tomate.

  • Os benefícios da ingestão de frutas, legumes e verduras superam os malefícios do consumo desses alimentos com resíduos de agrotóxicos

VERDADE! Optar por alimentos de base agroecológica ou orgânicos é sempre o ideal. Nos vegetais são encontradas vitaminas, minerais, fibras e fitoquímicos que previnem contra diversos tipos de câncer. Além de contribuir para a preservação do meio ambiente e para a agricultura familiar, são mais saudáveis para o organismo. 

(Fonte: INCA)

Dica: Em Fortaleza, é possível encontrar alimentos orgânicos (livres de aditivos químicos) na Terra Madre Fortaleza (@terramadrefortaleza) e nos Mercadinhos São Luiz (@mercadinhossaoluiz).

Mitos
  • Exposição a forno de micro-ondas pode provocar câncer

MITO! O forno de micro-ondas possui uma forma de radiação não ionizante. Não tem capacidade para lesar o DNA das células (ou seja, o material genético das células). (Fonte: INCA) 

  • A pílula anticoncepcional contribui para o surgimento da doença

MITO! Não existem estudos definitivos que comprovem a relação entre o uso de pílula anticoncepcional e aumento da incidência de câncer. O uso da pílula pode estar associado a uma diminuição do risco de desenvolvimento de câncer de ovário, inclusive. (Fonte: Portal Medicina & Saúde)

  • O uso de desodorante pode provocar câncer de mama

MITO! O que acontece é que o desodorante leva a uma obstrução de glândulas nas axilas, levando ao desenvolvimento de nódulos que podem infeccionar e devem ser tratados, mas não são sempre considerados malignos. Em caso de problemas, deve-se procurar um profissional de saúde. (Fonte: Fundação do Câncer)




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: