São Luiz RioMar

Musculação na gravidez pode contribuir no trabalho de parto

Os exercícios ajudam a melhorar a circulação, a alongar a musculatura e prevenir dores lombares, além de controlar a pressão e a glicemia

4 de setembro de 2015
Bella Falconi FOTO: Reprodução/Instagram

Bella Falconi FOTO: Reprodução/Instagram

Exercícios físicos são necessários em qualquer fase da vida, inclusive na gestação. Diferente do que algumas pessoas pensam, a prática da musculação, com orientação profissional, além de não ser proibida, pode até ajudar no parto do bebê.

De acordo com a ginecologista e obstetra Denise Vasconcelos, de Fortaleza, os exercícios de musculação ajudam a melhorar a circulação, no alongamento da musculatura e prevenção de dores lombares, sensação de bem estar, controle da pressão e glicemia. “Alguns exercícios podem sim melhorar a flexibilidade da musculatura perineal e contribuir direta ou indiretamente na melhor adaptação ao trabalho de parto”, afirma.

Cuidados

As atividades recomendadas são de baixo impacto, treinos mais leves que o habitual, e duração máxima de 1 hora. É importante também manter a hidratação adequada e  alimentação leve antes e após o treino, já que na gestação a digestão é mais lenta.

 “Durante a gravidez, o corpo da mulher está trabalhando para o desenvolvimento do

A musa fitness Bella Falconi chegou a ser criticada ao publicar vídeos de seus treinos na academia

A musa fitness Bella Falconi chegou a ser criticada ao publicar vídeos de seus treinos na academia

feto, com todas as atenções voltadas para isso. Quando se direciona esse metabolismo para outra atividade, de certa forma está competindo com aquilo que deveria ser enviado ao feto, por isso é necessário orientação de profissionais”, alerta.

Além disso, as alterações corporais que ocorrem devido ao esforço físico, como mudança de temperatura e batimentos cardíacos, influenciam diretamente no bebê.

“O corpo do bebê não tem maturidade para administrar essas oscilações, e isso pode prejudicá-lo. Por isso recomendamos início lento e gradual. Á medida que a gestante vai adquirindo mais condicionamento, ela pode aumentar a frequência da atividade física pois seu corpo saberá absorver esse impacto sem modificar muito respiração e batimentos cardíacos”, explica.

Colaboração

Denise Vasconcelos
Ginecologista e obstetra

Serviço

Rua José Vilar, 1541, Meireles
Contato: (85) 3262.2353




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: