Banner CMFOR – Outubro Rosa – 07 a 31/10

Dia Mundial de Combate à Meningite: Ceará já registrou 52 casos da doença em 2019

Lembrada neste 24 de abril, a data visa conscientizar a população sobre os perigos e formas de prevenção da doença

24 de abril de 2019
Apesar de toda a população estar em risco, as faixas etárias entre as crianças menores de 05 (cinco) anos, especialmente as menores de 01 (um) ano de idade, são as mais atingidas. (Fonte: banco de dados)

Apesar de toda a população estar em risco, as faixas etárias entre as crianças menores de 05 (cinco) anos, especialmente as menores de 01 (um) ano de idade, são as mais atingidas. (Fonte: banco de dados)

Meningite. Segundo o último Boletim Epidemiológico Meningite da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) emitido em março, já foram registrados 52 casos de meningite no estado este ano. Além disso, foram contabilizados dois óbitos. No Dia Mundial de Combate à Meningite, 24 de abril, campanhas servem para emitir um alerta à população e conscientizar sobre prevenção e combate da doença.

> Dia do Beijo: proteja-se de doenças e aproveite com saúde
> Unimed Ceará oferece serviços gratuitos em promoção à saúde
> Câncer: número de casos podem passar de 1 milhão este ano
> Dia Mundial do Autismo: entenda o mundo singular dos autistas

De acordo com a Sesa, apesar dos números altos ainda no quarto mês do ano, em comparação com igual período do ano passado, o Ceará registrou uma queda de 47% nos casos de meningite. Foram contabilizadas 99 notificações da doença em 2018, além de 10 óbitos.

Em 2019, a Campanha da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) pretende conscientizar os brasileiros quanto à prevenção da meningite. O pré-lançamento da campanha “Meningite: A Informação Vencendo o Medo”, ocorreu durante o 4º Workshop SBIm para Jornalistas, em São Paulo. O evento é uma contribuição da entidade para o Dia Mundial de Combate à Meningite.

Meningite: conheça-a e proteja-se

Segundo o Ministério da Saúde, “a meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Pode ser causada por diversos agentes infecciosos, fungos ou vírus, ou também por não infecciosos como medicamentos e neoplasias”. Entre os principais tipos de meningite estão a bacteriana, viral, de parasita ou fúngica.

> Mega complexo de saúde e bem-estar é inaugurado no Meireles

No entanto, a atenção da saúde pública é mais focada nas meningites bacterianas e virais, devido a capacidade de causar surtos e maiores complicações. Ainda de acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que ocorram, aproximadamente, 1,2 milhões de casos e 135 mil mortes por meningite a cada ano no mundo.

Sintomas

Alguns tipos de meningite causam sintomas mais particulares. No entanto, os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça e rigidez do pescoço. Além disso, é provável que o enfermo sinta muito mal estar, náusea, vômito, fotofobia (aumento da sensibilidade à luz), confusão mental, falta de apetite, irritabilidade e sonolência. Os mais graves de meningite bacteriana também podem aparecer, como: convulsões, delírio, tremores e coma.

Apesar de toda a população estar em risco, as faixas etárias entre as crianças menores de 05 (cinco) anos, especialmente as menores de 01 (um) ano de idade, são as mais atingidas. Segundo o Ministério da Saúde, na doença causada pela bactéria Neisseria meningitidis, além das crianças, os adolescentes e adultos jovens têm o risco de adoecimento aumentado em surtos. Na meningite pneumocócica, idosos e indivíduos portadores de quadros crônicos ou de doenças imunossupressoras também apresentam maior risco de adoecimento.

Transmissão

Comumente, a transmissão de meningite se dá através de secreções respiratórias e da saliva, tudo a partir do contato com pessoas ou objetos infectados. Além disso, é possível desenvolver a doença ao beber água ou comer alimentos crus contaminados.

> Academia na melhor idade: os principais benefícios da musculação para idosos
> Novembro Azul: Prefeitura de Fortaleza inaugura Centro de Atenção à Saúde do Homem

Prevenção: vacina é o método mais eficaz

A meningite pode ser prevenida logo após o parto, através da vacinação correta do bebê. De acordo com o Calendário Nacional de Vacinação, há quatro vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) que protegem contra a meningite. São elas BCG, pentavalente, pneumocócica 10 valente e meningocócica C.

  • Vacina meningocócica conjugada sorogrupo C: protege contra a Doença Meningocócica causada pelo sorogrupo C;
  • Vacina pneumocócica 10-valente (conjugada): protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite.
  • Pentavalente: protege contra as doenças invasivas causadas pelo Haemophilus influenzae sorotipo b, como meningite, e também contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B.
  • BCG: protege contra as formas graves da tuberculose.

Além da vacinação, seguir algumas medidas básicas ajudam a prevenir a doença. Lavar bem as mãos, principalmente antes de preparar alimentos, por exemplo. Medidas simples que, além de proteger o indivíduo em si, evita que ele seja um transmissor em potencial da meningite.

A depender do caso, a quimioprofilaxia medicamentosa (medicina preventiva) é indicada para contatos de casos de Doença Meningocócica e meningite por Haemophilus influenzae.

Fonte: Ministério da Saúde 




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: