BANNER FORTALEZA CAPACITA

HGWA promove Semana da Prematuridade, em Fortaleza

Confira a programação

8 de novembro de 2021

""programação segue até quinta-feira (11). Atualmente, o equipamento acolhe 24 bebês em leitos na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. No primeiro semestre de 2021, o hospital atendeu 110 crianças — 69% com idade gestacional abaixo de 37 semanas e 23% prematuros extremos.

Um destes pequenos pacientes foi José Roberto Vieira. Ele nasceu em junho com 26 semanas e pesando apenas 900 gramas. Desde o seu nascimento, o menino foi considerado prematuro e encaminhado para o HGWA, onde permanece em tratamento. A mãe, a dona de casa Eva dos Anjos Vieira, 37, acompanha o primogênito diariamente, que hoje se encontra na Enfermaria. Com alguns problemas de saúde, entre eles uma síndrome genética, José Roberto vem melhorando a cada dia. Ele já soma com 4,2 kg. A mãe relembra como tudo aconteceu.

> Lacen de Juazeiro do Norte é capacitado para diagnóstico laboratorial de meningite

A médica neonatologista Jocélia Bringel, coordenadora da Unidade Neonatal do HGWA, explica que, quando um bebê nasce antes de ter completado 37 semanas de gestação, ele é considerado prematuro. Se o nascimento ocorrer antes das 28 semanas, é considerado prematuridade extrema. A equipe assistencial busca acompanhar todos os momentos deste pequeno paciente, acolhendo também a família.

“A rede de apoio à família é fundamental neste período de internação, em que os familiares estão fragilizados. É necessária uma equipe multidisciplinar engajada na recuperação e reabilitação dessas crianças. É importante, após a alta hospitalar, um acompanhamento especializado com pediatra e equipe multiprofissional para o adequado crescimento e desenvolvimento neuropsicomotor. No HGWA, o ambulatório de retorno atende essas crianças até os dois anos de idade”, detalha Bringel.

Semana da Prematuridade

A programação também tem como objetivo abordar o impacto desses bebês na sociedade, pois as mães precisam de apoio nos longos períodos de internação. A enfermeira e coordenadora do Cetip, Yohanna Monteiro, pontua alguns serviços que são ofertados atualmente para o fortalecimento desse laço entre mãe e filho.

“Oferecemos atendimento de uma equipe multidisciplinar, com definição de meta e plano terapêutico, trabalhando na prevenção de infecções e eventos adversos que a internação prolongada pode ocasionar. Temos uma sala de ordenha aberta 24 horas, com auxílio de uma profissional diariamente nos turnos da manhã e tarde. Realizamos terapias que proporcionam conforto, segurança à criança e aos familiares, com um atendimento humanizado. Realizamos ofurô, o [método] canguru, tudo para que, no fim, possamos comemorar a recuperação dos nossos pequenos guerreiros”, diz.

> Novembro azul: consultas urológicas caem na pandemia e sociedade alerta população

A Semana da Prematuridade no HGWA inicia nesta terça-feira (9) com workshop on-line, a partir das 14h, no canal do YouTube do ISGH, com o tema “Os dez passos para o cuidado neonatal”. Na quarta-feira (10), será realizada a palestra “A importância do leite materno para a recuperação e desenvolvimento do bebê” com as mães dos pequenos que estão internados no hospital. No mesmo dia, ocorre um treinamento com a equipe assistencial abordando o uso do copinho na oferta do leite.

Na quinta-feira (11), será realizado um encontro virtual com os profissionais de saúde sobre “Separação Zero”, que fala sobre destacando a importância de manter o bebê sempre próximo da mãe. O tema é o título da campanha nacional deste ano.

Durante os três dias, ocorrerá, ainda, um quiz voltado para os profissionais de saúde e as mães, em diferentes momentos, pontuando assuntos relacionados à prematuridade. O refeitório do HGWA e outros espaços da unidade também serão decorados com a cor roxa, símbolo do movimento.

*Com informações da Secretaria de Saúde do Ceará.

 




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: