Prefeitura agosto

Covid-19: Transportes intermunicipais voltam a funcionar no Ceará

Especialistas alertam para o “efeito bumerangue”, risco de aumento da circulação do novo coronavírus entre a capital e o interior do estado

9 de julho de 2020

O serviço de transporte intermunicipal de passageiros no Ceará está autorizado a retornar às atividades a partir da próxima sexta-feira (10). A medida faz parte da 3ª fase do Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais do Governo do Ceará, decretada no último sábado (4).

> Fortaleza avança para terceira fase de reabertura de atividades

> Leite materno: doações são importantes para estoque no Ceará

> Brasil registra mais de 1,5 milhão de infectados por Covid-19

Porém, mesmo com a retomada, as empresas deverão operar de acordo com as orientações das autoridades de saúde, para garantir a segurança de colaboradores e passageiros, de acordo com o artigo 5º do decreto.

Dentre as medidas, estão:

  • Medição da temperatura dos passageiros antes do embarque, proibindo a viagem de quem estiver com temperatura igual ou superior 37,8ºC;
  • Uso obrigatório de máscaras de proteção, industrial ou caseira, pelos passageiros e tribulação a bordo durante percurso integral da viagem;
  • Limpeza e desinfecção obrigatórias dos veículos antes e ao término de cada viagem;
  • Priorização da venda de passagens pela internet ou meios digitais;
  • Vedação ao transporte de passageiros em pé no veículo, durante todo o trajeto da viagem;
  • Adoção obrigatória de medidas que preservem o distanciamento mínimo nos terminais de embarque e desembarque, a exemplo da demarcação da distância de 2 (dois) metros nesses locais.

O setor estava paralisado desde o primeiro decreto do Governo para conter a disseminação da Covid-19, em 23 de março.

O Protocolo de Reabertura do Transporte Coletivo Público e Privado do Governo prevê, também, que as empresas de transporte coletivo público e privado devam disponibilizar, em local de fácil acesso aos passageiros, preferencialmente na entrada e na saída dos veículos, de álcool em gel 70%.

Além disso, todos os funcionários devem usar, obrigatoriamente, Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s). Os veículos devem passar pelo procedimento de desinfecção, no mínimo, três vezes ao dia: uma à noite, outra após o “pico” da manhã e outra antes do “pico” da tarde.

Os ambientes deverão estar ventilados, evitando circular com janelas fechadas, sempre que possível. Segundo o protocolo, quando for necessária a utilização do sistema de ar condicionado, deve-se evitar a recirculação do ar, desinfetar regularmente os assentos e demais superfícies do interior do veículo que são mais frequentemente tocadas pelos trabalhadores.

Efeito “bumerangue”

O boletim divulgado pelo Comitê Científico de Combate ao Coronavírus no Nordeste (C4) em 2 de julho alertou para a possibilidade de aceleração do efeito “bumerangue” diante da volta das viagens intermunicipais no Ceará.

O fenômeno é caracterizado pela interiorização dos casos de Covid-19 no Estado, trazendo, posteriormente, como consequência, um fluxo maior de pacientes em estado grave para as capitais, já que os leitos disponíveis no interior são limitados para suprir as necessidades das regiões.

O C4 recomendou que “todas as rodovias que ligam Fortaleza ao interior do estado do Ceará sejam alvo de barreiras e possível bloqueio intermitente de tráfego de carros particulares e total de ônibus intermunicipais – mantendo-se todo tráfego de transporte de carga essencial e transporte de pacientes – para reduzir a interiorização da pandemia”.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: