Greenlife agosto

Covid-19: medidas de segurança também são necessárias em viagens de avião

Desembarque de estrangeiros no Brasil está liberada mediante comprovante de seguro de saúde

20 de agosto de 2020
aviao viagens covid-19

ANAC orienta priorizar check-in on-line para evitar aglomerações em aeroportos.

Viajar de avião em tempos de pandemia de Covid-19 exige uma atenção redobrada em relação às medidas de segurança para conter a disseminação do vírus.

> Entenda quais são as etapas de produção de uma vacina

De acordo com a pesquisa publicada no último dia 2 de julho pela Texas Medical Association (TMA), as viagens de avião são classificadas como grau médio-alto de infecção pelo vírus, dentro da escala que oferece cinco níveis de contágio: pouco risco, médio-baixo, risco médio, médio-alto e risco alto.

> Ceará apresenta alta incidência de Covid-19 entre jovens

Outro estudo realizado em 2018 pela Universidade Emory, nos Estados Unidos, verificou a probabilidade de contaminação de doenças respiratórias transmitidas por gotículas de saliva, como ocorre na Covid-19, em vôos.

A pesquisa concluiu que o risco de contágio é alto para passageiros sentados com a distância de até 1 metro de um passageiro doente. Para quem está mais distante, a infecção é mais improvável.

O infográfico a seguir mostra quais são os locais onde há maior chance de contágio pela doença.

assentos infectados covid-19

Pesquisa realizada pela Universidade Emory, nos Estados Unidos, mostra probabilidade de infecção por doenças respiratórias a partir em cada assento do avião. Imagem: Revista Pesquisa – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp)

Cuidados ao viajar

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o uso de máscara é indispensável para proteger os passageiros, os demais viajantes, os tripulantes e as pessoas que trabalham nos aeroportos.

> Covid-19: volta às aulas presenciais é desafio às autoridades

Os passageiros também devem utilizar álcool em gel, mas precisam ficar atentos ao transportarem-no: na bagagem de mão, são permitidos frascos com até 500 ml e com o fechamento em perfeito estado para prevenir a liberação do conteúdo. No caso de voos internacionais, os recipientes devem ser de plástico transparente e com capacidade máxima de 100ml.

O viajante também deve dar prioridade ao check-in antecipado pela internet, para evitar aglomerações em filas. O distanciamento físico de 2 metros entre as pessoas também deve ser respeitado.

Após o pouso, é necessário aguardar a chamada do Comandante e a abertura das portas para levantar e sair da aeronave. Quando for retirar as bagagens, mantenha o distanciamento físico.

Para evitar aglomeração de pessoas no desembarque, a ANAC estabeleceu que motoristas e familiares não poderão permanecer aguardando dentro do aeroporto.

Aeroportos e aeronaves

Medidas de segurança, envolvendo higiene, também devem ser adotadas dentro dos aeroportos e dos aviões. Todos os funcionários devem utilizar EPI’s, como máscaras e luvas. Os aeroportos sempre devem estar equipados com água, sabão e álcool em gel.

A recomendação da ANAC é que a administração dos terminais bloqueiem parte dos assentos para evitar a proximidade física entre os passageiros que estão aguardando os próximos voos.

Os banheiros devem ser desinfectados, pelo menos, 3 vezes ao dia, além de locais que são tocados com frequência, como corrimões, braços de cadeiras, carrinhos de bagagem e maçanetas das portas.

Segundo a ANAC, as aeronaves da frota brasileira possuem um sistema de filtragem que renova o ar a cada 3 minutos e captura cerca de 99% das partículas no ar. Mesmo assim, o uso da máscara é necessário.

O serviço de bordo deverá oferecer embalagens individuais em recipientes fechados e devidamente higienizados.

Voos internacionais

A ANAC recomenda para passageiros que chegam de destinos internacionais a permanência em isolamento durante 14 dias.

A Agência também reforça a orientação da Organização Mundial da Saúde de que viagens internacionais sejam realizadas apenas em caso de necessidade. É preciso verificar com autoridades do país de destino as medidas locais de saúde.

Ao final do mês de julho, o Governo Federal autorizou a reabertura das fronteiras aéreas para a entrada de estrangeiros no Brasil. A exceção se aplica aos aeroportos de Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rondônia, Rio Grande do Sul e Tocantins.

Visitantes vindos de outro país podem permanecer por até 90 dias no país, desde que tenham um comprovante de seguro de saúde.

No Ceará, aos poucos, as empresas aéreas estão retornando às operações em voos internacionais. Desde o último dia 11 de agosto, a empresa TAP está realizando voos semanais entre Fortaleza e Lisboa, em Portugal, exigindo a realização de testes para a Covid-19 antes da viagem.

A previsão de retorno de voos com destino a Paris pela empresa francesa Air France é para o mês de outubro. Em novembro, a Air Europa também volta às atividades, realizando o trecho entre Fortaleza e Madri, na Espanha.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: