Greenlife agosto

Coronavírus: cuidados com higiene devem ser reforçados durante amamentação

Lavar as mãos e mamas antes de amamentar e utilizar máscaras em caso de aparecimento dos sintomas são as principais orientações dos profissionais de saúde

20 de abril de 2020
Em caso de aparecimento dos sintomas de Covid-19, o uso de máscaras durante a amamentação torna-se indispensável. Foto: Reprodução

Em caso de aparecimento dos sintomas de Covid-19, o uso de máscaras durante a amamentação torna-se indispensável. Foto: Reprodução

A pandemia em decorrência do Covid-19 traz o alerta às mamães que estão em fase de amamentação. Nesse período, é necessário reforçar os cuidados em relação aos hábitos de higiene para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

No Hospital Regional Norte (HRN), do Governo do Ceará, administrado pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), as mães recebem diversas orientações. Segundo a coordenadora médica da Neonatologia do HRN, Renata Freitas, “a recomendação é a mesma para todas as viroses respiratórias. Evitar visitas, principalmente de pessoas gripadas, e lavar bem as mãos antes de pegar o bebê. Caso a pessoa doente realmente precise cuidar da criança, é preciso fazer o uso de uma máscara comum”.

> Grávidas e coronavírus: como se proteger?
> China registra primeiro recém-nascido com anticorpos para o Covid-19

Além disso, antes de amamentar, as mulheres devem lavar as mãos e as mamas. Aquelas que apresentam sintomas gripais ou alguma doença respiratória podem amamentar normalmente, desde que utilize uma máscara para proteção. Quando não estiver amamentando, a mãe precisa manter uma distância de pelo menos dois metros no bebê.

“Recomendamos o leite materno para que os anticorpos de defesa possam ser ingeridos pelo bebê. Caso a mãe se sinta insegura mesmo com as orientações, pode desmamar manualmente, ou por meio de algum dispositivo, e ofertar o leite ao bebê com a ajuda de outra pessoa”, explica.

Serviços médicos

Devido à recomendação de isolamento social, as famílias devem ir a unidades de saúde apenas em casos de extrema urgência. Febre acima de 37,5°C, respiração rápida e cansada forçando as costelas, recusa em mamar, lábios arroxeados e irritação extrema são alguns sinais de perigo em bebês.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: