Assembleia novembro

40 pacientes recebem alta hospitalar em três dias no HRN

O Hospital é referência em casos de média e alta complexidade de Covid-19 em Sobral

30 de junho de 2020

José Moura recebe alta no HRN. Foto: Reprodução

O Hospital Regional Norte (HRN), da rede pública da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado, administrado pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), alcançou 40 altas em três dias de pacientes em tratamento pela Covid-19. Na sexta-feira (26) foram 20 altas, no sábado (27), 11 altas e no domingo (28), outros 9 pacientes foram para casa.

> Profissionais de Enfermagem superam desafios para salvar vidas na pandemia de Covid-19

> HRN oferece orientação às famílias de pacientes internados

“Estamos tendo uma alta rotatividade e os pacientes estão se recuperando bem”, avalia a enfermeira e coordenadora do hospital de campanha do HRN, Etelvina Melo.

Morador de Uruoca, a 58 km de Sobral, José Moura da Silva, de 70 anos, recebeu alta hospitalar na sexta-feira (26), depois de passar 10 dias internado. O paciente passou pela Emergência, Clínica Covid-19 e Hospital de Campanha. “Gostaria de agradecer a Deus e a todas as pessoas que trabalham aqui nesse hospital. Por onde passei, foi maravilhoso”, garante.

Angélica Maria Aragão, de 59 anos, também foi uma das pacientes que receberam alta na sexta-feira (26). Ela deu entrada no HRN no dia 17 de junho e passou pelos setores Emergência, Clínica Covid-19 e Hospital de Campanha. “Eu fui muito bem atendida aqui desde a recepção até o momento em que cheguei às enfermarias. Amei o atendimento. Muito obrigada a Deus e muito obrigada ao HRN”, relata.

A médica infectologia do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do HRN, Patrícia Batista Rosa, ressalta que a população deve continuar a seguir as orientações de distanciamento social. “Ainda não sabemos se existe um risco de recontaminação pelo Covid-19 e nem podemos prever quem ficará em estado grave. Além disso, apesar das altas, ainda temos um grande número de pacientes internados e muitos em estado grave. Se a população não respeitar as medidas de isolamento social, corremos o risco de a taxa de ocupação hospitalar ter uma alta considerável”, avalia.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: