São Luiz RioMar

Setembro Amarelo: uma campanha de conscientização e valorização da vida

A proposta é discutir suicídio como um problema de saúde pública

3 de setembro de 2018
A campanha é promovida em decorrência do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, marcado no dia 10 de setembro. (Foto: Banco de Imagens)

A campanha é promovida em decorrência do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, marcado no dia 10 de setembro. (Foto: Banco de Imagens)

Iniciada em 2015, o “Setembro Amarelo” é uma campanha mundial sobre a prevenção e o combate contra o suicídio. O projeto propõe diversas ações que estimulam a conscientização acerca do assunto e simbolizam a valorização da vida.  

> Confira os cinco hábitos que diminuem a ansiedade
> Endometriose: saiba mais sobre essa doença silenciosa e devastadora
> Blog da Lu Lopes: bate papo com a Nynnive Sotero sobre saúde mental
> Pílulas anticoncepcionais e os riscos para a saúde

No Brasil, a ideia de promover uma campanha durante todo o mês de setembro foi pensada a partir de um projeto do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em decorrência do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, marcado no dia 10 de setembro.

O objetivo da campanha é reforçar a importância de discutir e prevenir o suicídio enquanto um problema de saúde pública. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas tiram a própria vida por ano em todo o mundo. O Brasil aparece como o oitavo colocado no ranking da OMS, com 31.507 casos de suicídio registrados entre 2012 e 2014, com uma média de 32 casos por dia.

Ajuda

Com o slogan “Falar é a melhor Solução”, a campanha para 2018 segue com o intuito de desmistificar a ideia de que o suicídio se dá apenas quando há omissão do problema por parte de quem sofre, além de buscar garantir maior visibilidade ao tema.

O CVV realiza um trabalho de apoio emocional, atendendo de forma voluntária e totalmente gratuita as pessoas que querem e precisam conversar em um momento de desconforto, sob total sigilo. A principal via de é contato é o telefone, no número 188, além de email e chat 24 horas todos os dias. 

Link do serviço: https://www.cvv.org.br/

Em Fortaleza, existem instituições que promovem o atendimento psicológico gratuito ou a preço popular. Confira:

CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)

Endereço: R. Pinto Madeira, 1550 – Aldeota
Telefone: (85) 3105-2632

Clínica Arcádia
Endereço: Rua Martinho Rodrigues, 191, bairro de Fátima
Telefone: 30345508

Instituto Raízes
Endereço: Rua Adolfo Moreira de carvalho, 86, Edson Queiroz.
Telefone: 34592477

Instituto Sherpa
Endereços: Av. Viena Weyne, 1167 – Lago Jacarey; Av. Antônio Sales, 1885, sala 203, Joaquim Távora.
Telefone: 3271-0564

Clínica Escola de Psicologia da UFC
Endereço: Rua Waldery Uchôa, 3, no bairro Benfica
Telefone: (85) 3366-7690

Clínica Escola de Psicologia da Unifor – Nami
Endereço: Av. Dr. Valmir Ponte
Telefone: 3477-3611

Clínica Escola Maurício de Nassau
Telefone: 3101-7720

Clínica Escola Fanor
Endereço: Av. Santos Dumont, 7800
Telefone: 3052-4865

Clínica Escola de Psicologia do Centro Universitário Estácio do Ceará
Telefone 3271-1992

Clínica Escola da Uece
Endereço : Av. Dr. Silas Munguba, 1700 – Campus Itapery
Telefone: 3101-9981

ATENÇÃO: Sinais como mudanças repentinas de humor, frases inesperadas de alerta pedindo socorro ou comportamentos depressivos podem indicar a necessidade de ajuda. Ao apresentar qualquer um desses sintomas ou sentimentos relacionados, o indicado é procurar ajuda profissional com urgência.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: