Banner São Luiz – Miguel Dias

Segunda fase de reabertura de atividades inicia hoje em Fortaleza

Nova etapa está prevista para durar 14 dias e tem como critério de avanço a diminuição do número de óbitos na Capital

22 de junho de 2020

Inicia hoje, 22, em Fortaleza, a segunda fase do Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais do Governo do Ceará. A decisão veio após a diminuição dos indicadores de internações por Covid-19, dentro dos critérios estabelecidos pela Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa).

A nova etapa terá duração de 14 dias e conta com a reabertura de restaurantes, que funcionarão especificamente para almoço. Além disso, templos religiosos também voltarão a funcionar, respeitando a ocupação máxima de 20% de sua capacidade. A prática de esportes individuais também foi liberada. Setores de calçados e artigos de couro, construção civil poderão funcionar com 100% da capacidade.

O plano ainda conta com outras duas etapas. Para avançar, é necessário atingir critérios técnicos, sanitários ou epidemiológicos, como a taxa decrescente de óbitos pela doença e a territorialidade dos casos.

Mesmo com a retomada gradual das atividades, a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) e a Prefeitura de Fortaleza reforçam a importância de manter os cuidados para proteger-se da Covid-19. “A gente continua em isolamento social. A gente tem a responsabilidade de iniciar esse processo com muita consciência de que, se não houver responsabilidade individual e coletiva da cidade, ele pode ter que parar caso os indicadores voltem a piorar”, enfatiza o prefeito Roberto Cláudio.

O plano iniciou com uma fase de transição, que iniciou em 1º de junho e contemplou 17 setores que voltaram ao funcionamento em trabalho presencial, variando entre 20% e 30% do efetivo. A primeira fase, que antecedeu a atual, permitiu que mais atividades voltassem a funcional, com as cadeias produtivas contando com 40% dos seus empregados.

Interior do Ceará

A Macrorregião de Saúde de Fortaleza, que compõe os municípios da Região Metropolitana, estão, nesse momento, passando para a primeira fase da reabertura gradual de atividades. Todas as outras regiões permanecem na fase de transição. De acordo com o governador Camilo Santana, “há uma preocupação pelo avanço da pandemia no Interior do Ceará. Portanto, as autoridades sanitárias aconselharam e todos os estudos mostraram que devemos monitorar e acompanhar”.

O município de Sobral permanece em isolamento rígido por mais uma semana. Em Juazeiro, a maior rigidez na fiscalização do distanciamento inicia esta semana, diante do crescimento do número de casos.

Fases

Caso os índices referentes ao Covid-19 apresentem resultados positivos na Capital, o plano irá avançar para a terceira fase, que também deve durar 14 dias, em que mais setores serão liberados e será observada a diminuição do número de óbitos.

A quarta e última etapa prevê que a autoridade de Saúde do Estado irá arbritrar sobre as condições específicas de uma região ou município.

Com o retorno pleno das atividades, de acordo com a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), 1.472.504 empregos formais voltarão a circular.

Decreto de isolamento social

Março:

  • Em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS), declara pandemia de Covid-19, alegando que a doença já estava espalhada por diversos continentes com transmissão comunitária entre as pessoas.
  • Em 15 de março, a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) anunciou os três primeiros casos confirmados de Covid-19 no Ceará. Todos os infectados estavam na capital.
  • Em 16 de março, durante reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Coronavírus, o Governo determinou Estado de Emergência de Saúde Pública no Ceará. Dentre as medidas estabelecidas, estava a suspensão de qualquer evento público no Ceará acima de 100 pessoas.
  • Em 19 de março, inicia o processo de isolamento social no Ceará. A medida começou orientando que os cearenses permanecessem em casa durante 10 dias, para evitar a transmissão do vírus entre os cidadãos.
  • Em 26 de março, a Sesa divulgou a confirmação de três óbitos por Covid-19 no Ceará. Na época, o Ceaá registrava 211 casos da doença.
  • Em 29 de março, o governador anuncia, por meio de transmissão ao vivo pelas redes sociais, a prorrogação do Decreto Estadual que previa o isolamento social por mais sete dias.

Abril:

  • Em 5 de abril, o decreto é prorrogado por mais 15 dias. Segundo o Governador, a medida foi tomada levando em consideração questões técnicas e científicas.
  • Em 6 de abril, o secretário de saúde do Ceará, Dr. Cabeto, anuncia novas estratégias, como distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais de saúde e ampliação de testes em Fortaleza.
  • Em 19 de abril, Camilo Santana prorroga o isolamento social por mais 15 dias. “Nossa prioridade tem sido preservar a vida dos cearenses e minimizar os efeitos da pandemia para a nossa população”, afirma.

Maio:

  • Em 5 de maio, o isolamento é prorrogado por mais 15 dias e são divulgadas novas medidas de enfrentamento. Entre elas, estava a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção e o isolamento social rígido.
  • Em 6 de maio, torna-se obrigatório o uso de máscaras de proteção.
  • Em 8 de maio, torna-se proibida a circulação de pessoas veículos em espaços públicos como praias, praças, calçadões e parques. A exceção se aplicava apenas se fosse apresentada alguma justificativa, como busca aos serviços essenciais. A fiscalização era feita por agentes da Secretaria de Saúde, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Estadual e Detran, além de agentes municipais de fiscalização.
  • Em 20 de maio, o isolamento social rígido é prorrogado na Capital;
  • Em 29 de maio, o governador Camilo Santana anuncia o Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais, que autoriza o retorno do funcionamento de alguns setores.

Junho:

  • Em 1 de junho, inicia-se a fase de transição do Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais do Governo do Ceará, com 17 setores retornando às atividades, variando de 20 a 30% do efetivo.
  • Em 8 de junho, inicia-se a primeira etapa do Plano, prevista para durar 14 dias.
  • Em 22 de junho, inicia-se a segunda etapa do plano, prevista para durar 14 dias.

Situação no Ceará

Até o momento da publicação dessa matéria, de acordo com a plataforma IntegraSUS, são 92.866 casos confirmados da doença e 5.523 óbitos no Estado.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: