Indaiá 3

Tudo que os pais precisam saber sobre a APLV em bebês

Entenda a diferença entre a alergia e a intolerância à lactose

28 de junho de 2018
Alergia a proteína do leite

Os pais precisam estar atentos aos sintomas do APLV

A Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV) é uma alergia alimentar que ocorrer devido à reação do sistema imunológico às proteínas presentes em alimentos que contém leite na fórmula.

Segundo a pediatra Isa Xavier, a principal diferença entre a intolerância à lactose e a alergia alimentar é qual parte do organismo cada uma prejudica. “Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria a alergia alimentar geralmente é uma reação adversa ao componente protéico do alimento e envolve mecanismos imunológicos. A intolerância é uma reação adversa que envolve a digestão ou o metabolismo, mas não o sistema imunológico”, explica a médica.

> Pílulas anticoncepcionais e os riscos para a saúde
> Antes e Depois: menos 27 kg com ajuda da natação
> Castanha-do-Pará: vilã ou aliada na dieta?

Amamentação

Segundo a pediatra, mesmo crianças alimentadas com leite materno podem ser expostas às proteínas do leite que são ingeridas pela mãe e passadas para o bebê na amamentação. “É importante pontuar que a APLV requer acompanhamento de um bom especialista. Na maioria dos casos, a melhor opção é um gastro, mesmo sendo o pediatra o profissional que suspeita dos primeiros sintomas”, indica Isa.

SINTOMAS

“Entre as principais reações predominam os vômitos, diarreia e retardo do crescimento e/ou sangue nas fezes. Ainda podem ocorrer sintomas súbitos como irritabilidade, cólica, choro intenso e recusa alimentar. As manifestações dermatológicas e respiratórias também são frequentes, como: broncoespasmo, rinite, urticária, rash cutâneo morbiliforme, dermatite atópica, entre outros”, afirma a pediatra.

TRATAMENTO

O tratamento consiste, principalmente, em evitar o consumo da proteína do leite. “No caso de APLV na vigência de aleitamento natural exclusivo, a mãe deve deixar de consumir leite de vaca e derivados. Porém, a restrição desses alimentos para a mãe somente deve ser considerada se houver reações comprovadamente alérgicas no lactente que estiver sendo amamentado”, afirma a pediatra.

Dicas da profissional:

Leia sempre os rótulos de produtos industrializados cuidadosamente, mesmo que já tenha oferecido ao seu filho anteriormente.

Cuidado com medicamentos e cosméticos (sabonetes, xampus, cremes) que podem conter leite na sua composição.

Evite a monotonia alimentar, faça receitas substituindo o leite por água, sucos ou fórmulas especiais isentas da proteína do leite.

Faça banho de sol 30 minutos por semana, evitando os horários entre 10 e 16h. O sol é importante para a conversão da vitamina D em metabólito ativo e a absorção do cálcio.

Procure um médico e nutricionista para acompanhar o seu filho que tem alergia, e para fazer a suplementação de vitaminas, proteínas e cálcio adequadas.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: