Indaiá 3

Entenda as diferenças entre leite de saco e o UHT de caixa

O processo escolhido muda o sabor e a quantidade de nutrientes

20 de abril de 2016
leite-de-caixa-ultrapasteurizado-nestlé

Leite ultrapasteurizado, o famoso UHT “de caixinha”

Além de essencial por conter nutrientes necessários para uma melhor manutenção da saúde, o leite está presente na preparação de vários alimentos. Há disponível no mercado o leite de saco – que está desaparecendo das prateleiras pelo desuso – e o de caixa. Mas você sabe qual o processo que eles passam até chegar na sua casa? Pode não parecer importante, mas faz total diferença quanto ao sabor e nutrição.

>

Pasteurização x Ultrapasteurização

O leite ensacado passa por um processo chamado de pasteurização. “O leite passará pelo filtro, seguirá pela tubulação até entrar no dispositivo em que ele será aquecido a uma temperatura de cerca de 73 graus Celsius. E depois é rapidamente resfriado. Esse choque térmico vai matar os micro-organismos nocivos. O leite pasteurizado preserva quase todas suas propriedades e principalmente os micro-organismos benéficos, como os lactobacilos vivos”, explica o professor Gilton Lyra em entrevista ao portal de notícias G1.

Esse tipo de leite precisa ficar refrigerado porque pode acabar azedando devido à preservação dos lactobacilos. Esse é um dos fatores pelos quais ele foi sendo substituído. Outro motivo é a falta de praticidade, pelo fato do saco ser mais frágil e facilitar o

leite-de-saco-pasteurizado

Leite “de saquinho”, pasteurizado

desperdício.

Já o leite de caixa, que não precisa ficar na geladeira, sofre o processo de ultrapasteurização. “A gente aquece numa temperatura que é quase que o dobro da comum por certo tempo e depois resfria. O problema da ultra é que também mata os micro-organismos benéficos e se perde um pouco do valor nutritivo do leite”, destacou Gilton.

O professor explica também que, ao contrário do que pensa a maioria, não são apenas os conservantes os responsáveis pela durabilidade. O tipo UHT dura mais porque passa por um processo de aquecimento em temperaturas de até 150 graus Celsius, o que elimina a maior parte dos micróbios contidos no leite.

Para o clínico geral Alexandre Feldman, em reportagem ao jornal O Globo, o UHT deve ser evitado. “O problema de ultrapassar uma certa temperatura é que você elimina boa parte das vitaminas, sensíveis ao calor. Sem vitamina D, por exemplo, absorvemos

leite sem lactose

Primeiro leite fresco zero lactose. FOTO: Reprodução/Instagram @mercadinhossaoluiz

muito menos cálcio, o principal motivo pelo qual incentivamos o consumo do leite”, aponta.

Marca cearense aposta em leite fresco na garrafa. Mais saudável e prático.

A marca Sabor & Vida lançou uma linha de leite fresco no mercado. Eles são sem adição de conservantes, pasteurizados a 70° graus, o que elimina as impurezas mas ainda mantém as características do leite mais próximas do leite natural e tem 7 dias de validade. Sem falar da embalagem que imita as garrafas de vidro de antigamente. Mais saudável que o leite UHT (de caixa) e mais prático do que o leite de saco. Além das versões integral e desnatado, eles lançaram também o primeiro leite fresco zero lactose. Aqui em Fortaleza, encontramos nos Mercadinhos São Luiz.

 

 




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU: