Indaiá 3

Conheça os óleos vegetais que podem acabar com sua dieta

Eles podem aumentar o risco de doenças cardíacas

13 de outubro de 2017
óleos vegetais

O óleo de milho deve ser evitado por estimular processos oxidativos no organismo.

Por muito tempo acreditou-se que óleos vegetais eram melhores que outros tipos de gordura, como manteiga e banha animal. Estudos recentes realizados na Universidade de Oxford, nos Estados Unidos, mostram que isso não é verdade absoluta. É preciso ter cautela ao cozinhar com alguns tipos de óleos.

Segundo as pesquisas, pessoas que ingerem maior quantidade de óleos vegetais tem colesterol mais baixo do que quem consome gordura saturada. Entretanto, é preciso ter cuidado na ingestão desses óleos, porque além de sabotar a dieta, eles aumentam o risco de doenças cardíacas.

OS QUE DEVEM SER EVITADOS

Óleo de canola
Óleo de milho
Óleo de girassol
Óleo de soja

* Eles são fontes de ômega 6, que pode estimular o potencial oxidativo e inflamatório. Além de aumentar as calorias ruins da alimentação.

> Receita de almôndegas de grão de bico 

> Alimentos que podem prevenir o câncer de mama
> Equilibre seu PH e livre-se de deonças
Fique atento!

Os óleos vegetais contêm grande quantidade de gordura polinsaturada – os ácidos graxos essenciais: Ômega 3 e Ômega 6. É na desproporção entre a quantidade de Ômega 6 e Ômega 3 que mora o perigo de desenvolver problemas mentais e dislexia, por exemplo.

Além disso, uma refeição com peixe e batata fritos em óleo vegetal tem de 100 a 200 vezes mais compostos químicos tóxicos do que o limite diário estabelecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Esses compostos estão relacionados a doenças cardíacas, câncer, malformações do bebê durante a gravidez, inflamações, riscos de úlcera e aumento da pressão sanguínea.

Óleo de canola, milho, girassol e soja são fontes de ômega 6, que pode estimular o potencial oxidativo e inflamatório. Quando esses óleos são aquecidos suas estruturas moleculares mudam em contato com o oxigênio, ocorre então a oxidação e formam-se aldeídos e peróxidos de lipídio, substâncias diretamente relacionados a um maior risco de câncer e doenças cardíacas.

Óleos vegetais bons

O azeite de oliva e azeite extra-virgem apresentam muito menos aldeídos quando aquecidos, assim como a manteiga e a banha de porco – que devem ser consumidos com moderação e de acordo com a indicação do seu nutricionista. A razão disso é que são ricos em gorduras monoinsaturadas e saturadas, sendo muito mais estáveis sob aumento de temperatura.

“O óleo de macadâmia e o azeite podem ser usados para temperar saladas cruas. Evite frituras, especialmente em temperaturas muito altas, armazene seu óleo em locais adequados e não o reutilize”, diz a nutricionista Morgana Rolim.

OS QUE PODEM SER CONSUMIDOS

Óleo de coco
Azeite extra-virgem
Óleo de macadâmia

* Esses óleos são as melhores opções. Apesar de serem considerados calóricos, auxiliam na perda de peso se consumidos com orientação profissional.




QUEM LEU ISSO TAMBÉM LEU:







COMENTE: